A RELAÇÃO DA ENFERMAGEM NA QUALIDADE DE VIDA DOS PACIENTES RENAIS CRÔNICOS EM TRATAMENTO DE HEMODIÁLISE

Gabriela Lino Barbosa, Caroline Reis, Priscila Moura

Resumo


 Introdução: Nos últimos anos, houve uma expansão no número de pacientes com doenças renais crônicas, tornando um problema de saúde pública, por este motivo vem despertando o interesse dos profissionais de saúde para avaliar a qualidade de vida desta população com intuito de aprimorar a assistência na terapia. Objetivo: Compreender a relação da enfermagem e a qualidade de vida (QV), e analisar os fatores que desencadeiam a má qualidade de vida e sua melhora, e como podemos proporcioná-los um aumento na QV. Método: Realizou-se revisão integrativa da literatura, com buscas no Scielo e outras bases. Dois pesquisadores selecionaram os estudos, extraíram os dados e avaliaram a qualidade. Resultados: Com o presente estudo identificamos a importância da enfermagem como educador e orientador na qualidade de vida dos pacientes auxiliando o paciente no enfrentamento do tratamento. É a enfermagem o profissional o profissional mais adequado para identificar em quais pontos está tendo um déficit na qualidade de vida e criar estratégias para promover uma qualidade de vida saudável durante o tratamento. Conclusão: Conclui-se que quando o indivíduo inicia sua vida em tratamento hemodilítico, inicia um enfretamento e mudanças bruscas em seu cotidiano, e através disso uns conseguem viver normalmente lidando com a situação, já outros não superem a situação e apresentam fatores que atrapalham sua qualidade de vida. É nesta questão que a relação da enfermagem se encontra associada a vida desses indivíduos, pois sua intervenção apresenta de forma satisfatória uma melhora no quadro desses pacientes renais.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia